quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Freguesia de Azambuja rejeita protocolo

27 Dezembro de 2011.
Pouco passava das 20:30 quando o presidente da assembleia Municipal de Azambuja, António Pratas Cardoso, leu uma comunicação da Junta de Freguesia de Azambuja em que esta denuncia e cancela o protocolo de competências em vigor, exigindo ao mesmo tempo que a câmara pague com urgência os mais de 30.000 euros que se encontram em atraso.
A declaração foi confirmada por António Amaral que em declaração ao Correio de azambuja referiu que a denúncia tinha de ser feita: " porque em matérias como limpeza urbana e jardins, o trabalho a desenvolver pela junta é de extrema responsabilidade por se tratar de higiene urbana. Mais, todos sabemos que os tempos são de dificuldades mas, querer cortar com 40% da verba é demais. Cortem nas festas ou nas feiras.... na limpeza não.» E adianta: "Estou disponível para encontrar uma saída mas, nos termos actuais, a 1 de Janeiro a limpeza da Vila de Azambuja passará a ser feita pela câmara!"
Já Joaquim Ramos , presidente da edilidade pensa que se trata de algum "fogo de artifício" mas sempre vai avisando que os tempos são de contenção, quer os autarcas queiram ou não.
Esta assembleia foi ainda marcada pelo desmentido da presidência quanto à notícia posta a circular nalguns jornais e que apontavam para um despedimento de trabalhadores da câmara. Ramos desmentiu os 2 orgãos de comunicação dizendo que apenas referiu que serão extintos 5 postos de directores de serviço, mas que os visados irão regressar aos seus postos de origem como o caso da câmara de Lisboa ou mesmo de Azambuja de onde eram procedentes. Ou seja, perdem o posto superior mas não o posto de trabalho.
Finalmente, a Assembleia aprovou o orçamento para 2012 apenas com os votos favoráveis da maioria socialista. Um orçamento que segundo a oposição "está empolado em vários milhões de euros do lado da receita, que não acreditam se venha a concretizar."
Finalmente também foi admitido pelo presidente que o Parque da Milhariça em Aveiras de Cima "muito dificilmente será concretizado nos próximos anos!"

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Sessão de Câmara de 27 de Setembro 2011


A última reunião de Assembleia da Câmara Municipal de Azambuja realizou-se no dia 27 de Setembro e foi presidida interinamente pelo vice-presidente, Luís de Sousa. O autarca foi questionado por José Rodrigues de Almeida em relação aos terrenos das ex-estufas, situados junta à guarita. Segundo José de Almeida, os terrenos são conhecidos como sendo agrícolas porém têm um cartaz classificando-os como terrenos industriais.
Face ao referido, o vice-presidente explicou que os terrenos integram a Reserva Agrícola Nacional, contudo, uma determinação do Ministério da Agricultura decretou que os terrenos perderam capacidade agrícola.
O vereador da Coligação Pelo Futuro da Nossa Terra, Jorge Lopes, salienta que em 2002/03 a área dos terrenos foi declarada de Interesse Público Nacional, justificando-se em termos de localização de área logística e prevendo-se, na altura, a construção de armazéns que iriam assegurar 450 novos postos de trabalho. Actualmente, os terrenos são “objecto de venda para unidade industrial”, nos quais só podem ser construídos armazéns. Na opinião do vereador, a câmara deveria fixar um prazo para a declaração de Interesse Público Nacional.
O mesmo vereador, Jorge Lopes, lançou o debate ao dizer que está previsto o encerramento de três unidades públicas no Concelho, referindo-se concretamente ao fecho do posto de Correios e da GNR em Aveiras de Cima, assim como do serviço de Finanças de Azambuja. Sobre esta questão, o presidente da Junta de Freguesia de Aveiras de Cima, Justino Cláudio, em declarações posteriores à reunião, afirmou que o fecho dos Correios está previsto para dia 7 de Outubro; O serviço passará a ser assegurado pela papelaria da localidade, Vídeo Cima, a partir de dia 10 do referido mês. O presidente Justino Cláudio acrescentou ainda que o posto de Correios de Alcoentre também irá fechar portas.
O vereador da Coligação Pelo Futuro da Nossa Terra adiantou também que, no preciso dia da Reunião de Câmara, 27 de Setembro, a Unidade de Atendimento ao Público da Câmara Municipal de Azambuja começou a receber documentação relativa à Segurança Social, podendo, tal situação, vir a contribuir para o encerramento dos respectivos serviços em Azambuja. Face ao exposto, o vice-presidente, Luís de Sousa, revelou não estar ao corrente das situações acima mencionadas.
Na reunião foi aprovada por unanimidade a proposta relativa à contratação de árbitros credenciados para a realização da 2ª Edição dos Campeonatos “AZB- Fair Play”, evento que “nasceu da necessidade de reforçar a Cultura Desportiva junta da população do nosso Concelho”, segundo a proposta Nº69/P/2011. Também por unanimidade, foi a aprovada a proposta Nº14/VML/2011, respeitante à contratação de quatro professores licenciados em Desporto e/ou Educação Física que assegurem o Programa Actividade Física para Todos (PAFT). O programa é direccionado para pessoas com idade superior a 55 anos e para crianças e jovens portadores de deficiência. O PAFT insere-se no “Envelhecimento Activo”, um estudo científico desenvolvido pela Escola Superior de Desporto de Rio Maior, em parceria com a Faculdade de Motricidade Humana, para o qual já existe um protocolo com a Câmara Municipal de Azambuja.
No seguimento do requerimento apresentado pela CERCI com vista à isenção do pagamento de taxas de licenciamento, que ascendiam aos 2.851,60 falta euros, para a construção de um edifício destinado a ser um Lar Residencial e Centro de Atendimento/Apoio Ocupacional, a proposta Nº78/P/2011, que visava a isenção dessas mesmas taxas, foi aprovada por unanimidade. Também em relação ao apoio social, a Unidade Psicopedagógica de Azambuja (UPA) ficou isenta do pagamento das taxas referentes ao transporte levado a cabo pela Câmara Municipal de Azambuja, ao ver aprovada por unanimidade a proposta Nº23/VSL/2011. A UPA é uma associação sem fins lucrativos que tem um protocolo com o Centro de Apoio ao Desenvolvimento Infantil (CADIN), para o qual “encaminha (…) crianças com deficiências/dificuldades de aprendizagem para consultas e avaliação junto de técnicos habilitados”, conforme está descrito na proposta Nº23/VSL/2011.
No âmbito da proposta Nº41/VP-LS/2011, foi aprovado um protocolo entre a Câmara Municipal de Azambuja e a Escola Superior Agrária de Santarém – Instituto Politécnico de Santarém, com o objectivo de levar a cabo “um programa de rastreio contínuo aos hábitos alimentares e ao controlo do excesso de peso e obesidade das crianças da rede pública do ensino pré-escolar do Concelho de Azambuja”, segundo vem expresso na proposta aprovada por unanimidade.
Em última instância, as propostas Nº79/P/2011 e Nº80/P/2011 que dizem respeito à construção dos Centros Escolares em Aveiras de Cima e Vila Nova da Rainha, foram aprovadas com seis votos a favor e um voto contra. O vereador da Coligação Pelo Futuro da Nossa Terra mencionou que a proposta “não está suficientemente fundamentada de facto e de direito”.
André Duarte

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Centro Social e Paroquial de Azambuja acaba ( sem aviso) com Clube Jovem



O Clube Jovem, uma actividade de tempos livres que ocupava 22 crianças entre os 10 e os 12 anos, terminou sem que os Pais e Encarregado de Educação tenham sido oficialmente avisados.
A decisão que indignou os Pais, arrasta também para o desemprego um psicólogo e uma auxiliar que se encontravam alocadas ao projecto.
Os interessados não sabem agora o que fazer aos filhos a uma semana do início das aulas e já ontem tentaram falar com o Cónego João Canilho,(na foto) que até agora não prestou qualquer esclarecimento.
A Rádio Ribatejo também tentou uma reacção oficial que está prevista para esta 3ª feira.

Actualização: O Padre João Canilho já informou que não presta informações à Comunicação Social "por se tratar de um assunto interno da instituição!"
mais informação em:
http://www.ribatejofm.com/

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Santa Casa da Misericórdia perde o seu provedor

Faleceu esta manhã na sua residência em Azambuja, Armando Moura Aparício, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Azambuja.
Vítima de doença prolongada, Aparício tinha suspenso o seu mandato há 3 meses mas continuava a colaborar activamente no Correio de Azambuja com as sua habituais "Páginas do meu diário".
O Correio de Azambuja apresenta as mais sentidas condolências à família.

domingo, 26 de junho de 2011

Acidente no Campo de voo de Azambuja.



O Comandante José Manuel Rebelo ( 1º à dta. na foto) e uma passageira, sofreram esta manhã (11:20) um acidente quando efectuavam um baptismo de voo. Por razões ainda não esclarecidas, o ultraligeiro do conhecido e experiente piloto de Azambuja, teve de efectuar uma manobra antes de aterrar e repentinamente, o motor parou.
Esse facto provocou a imediata queda do avião.
18:00- O Comandante e a passageira foram transportados para o Hospital de Vila Franca e depois da observação, o Comandante José Manuel acabaria por ser transferido para S. José para exames complementares.
O comandante José Manuel pilotou uma aeronave pela 1ª vez em 1976 e o campo de voo existe desde 1992.
(em constante actualização)

terça-feira, 21 de junho de 2011

Assembleia polémica em Aveiras de Cima


21 Junho de 2011

A assembleia municipal de Azambuja realizada no passado sábado à tarde em Aveiras de Cima, continua a causar acesa polémica entre os políticos locais. Tudo porque o tema central proposto pelo BE- Bloco de Esquerda pretendia avaliar o "estado do município" e Daniel Claro (BE) apresentou as linhas gerais já conhecidas sobre os eixos de desenvolvimento do concelho. Já Joaquim Ramos no seu discurso de 20 minutos, defendeu-se dos críticos e apontou as dificuldades e chegou mesmo a "criticar" o governo do seu próprio partido que " nestes 6 anos em nada nos ajudou" .
Mas o momento da noite caberia ao presidente do PSD de Azambuja, Pedro Coelho que, em nome da Coligação pelo Futuro da Nossa Terra, arrasaria a gestão socialista apontando casos como o do estado das finanças do município, a construção da praça de toiros adjudicada a determinada empresa , a um suposto alargamento de um cemitério e nem sequer querer "entrar" na antiga gestão do vice-presidente à frente do Centro Social e paroquial de Alcoentre, agora a braços com prejuízos a fornecedores, funcionários e segurança social.
Ora essa afirmação, viria a tornar-se como mote para a sessão de câmara que hoje decorreu em Azambuja quando na ausência do presidente, Luis de Sousa permitiu que os seus colegas o ""desagravassem" publicamente (Silvino Lúcio e Marco Leal), fugindo completamente ao objectivo de uma sessão ordinária camarária.
E seguindo as reacções, está de novo criado um assunto a seguir muito próximamente já que o vice-presidente não é a primeira vez que aparece ligado à gestão (deficitária) do Centro Social de Alcoentre.
Pedro Coelho da Coligação de direita, ausente da sessão, promete esclarecimentos para breve.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

As contradições de Ramos



Causou viva polémica o facto de Joaquim Ramos, ter negado há 15 dias (perante a insistência do vereador Jorge Lopes) que a câmara alguma vez tivesse colocado o Estado Português em tribunal por causa de uma verba que provinha da Opel.
A verba de mais de 900 mil euros foi, segundo Ramos reclamada ao secretário de estado do governo socialista anterior e mais tarde já em declarações ao jornal Público, à Lusa e à Rádio Renascença, o autarca declarava ter colocado o estado em tribunal. Factos que acaba de defenir como "má interpretação do que disse".

Ora o Correio de Azambuja sabe que efectivamente Ramos nada fez para reclamar o dinheiro devido e segundo alguns comentadores, "isso seria mal visto entre políticos da mesma família".
Joaquim Ramos promete agora esclarecer o assunto em entrevista à Rádio Ribatejo na manhã de 9 de Junho a partir das 8:30, mas a Coligação pelo Futuro da nossa Terra já admitiu em comunicado que Ramos terá mentido, sempre que o assunto era abordado .

Actualização: 9 Junho 2011- Nessa entrevista (à Rádio Ribatejo) Ramos acabou por esclarecer que colocou a questão da dívida em tribunal mas quanto ao pagamento, a câmara ainda estuda a maneira como o vai e se o vai fazer





sexta-feira, 3 de junho de 2011

20 Feridos na Feira de Maio 2011

2 Junho de 2011
A edição de 2011 da feira de Maio de Azambuja, acabou por provocar cerca de 20 feridos dos quais 7, foram considerados com alguma gravidade.
Um deles, o jovem Gonçalo Seco, acabaria por ser colhido junto ao Largo de Palmela tendo ficado muito maltratato e com grandes hemorragia. Valeu-lhe a coragem do pai de tentou segurar o animal e posteriormente a assistência médica imediata do Dr. António Godinho, deputado municipal que se encontrava numa tertúlia a poucos metros do local.
A colhida foi registada por alguns curiosos e já corre na internet um video que mostra a violência do incidente. O jovem já não inspira cuidados mas ainda se encontra internado no hospital Reynaldo do Santos em Vila Franca de Xira.
O link é o seguinte :
(Desde já alertamos para a violência das imagens que podem sugestionar alguns leitores)

video

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Directora de saída

Judite Álvares a directora do DISC de Azambuja, Dep. de Interv. Sócio-Cultural, apresentou a sua demissão na passada 2ª feira no último dia da Feira de Maio.




Alegando razões de proximidade com a restrições às autarquias e o facto de a sua nomeação ser politica, os factos que se avolumam com a saída de Joaquim Ramos da presidência, levaram a directora a antecipar o regresso ao seu local de origem : a câmara de lisboa.



Depois de 9 anos à frente dos destinos de sectores como a Cultura, Educação e o museu municipal entre outros, Judite Álvares teve "direito" a uma pequena festa liderada pelo grupo Pilha Galinhas na Praça da Freguesias e na presença dos funcionários do departamento.


Actualização:15 Junho 2011 Tudo apontava para que o Dr. Paulo Louro, fosse o sucessor (conforme noticiava anteriormente este blogue), mas o presidente em declarações à Rádio Ribatejo declarou não ser seu desejo designar outra pessoa para o lugar- "fazendo assim alguma poupança aos cofres da câmara", ironizou.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Editorial Actualização

Caro leitor do Correio de Azambuja:

No meu editorial da edição da Feira de Maio 2011, declarei-me preocupado com o futuro estacionamento PAGO na vila de Azambuja.
E fui interpelado por alguns leitores que me questionaram sobre se, sendo eventualmente "contra", achava bem que o estacionamento fosse ocupado pelos "estranhos " à vila que vão para o comboio e deixam o carro todo o dia na vila.
Ainda bem que me permitem esclarecer o seguinte:
- Duvidarei do interesse da medida, até ao dia em que os visados pagadores e comerciantes souberem o preço do referido estacionamento por hora. (Não é correcto passar cheques em branco a ninguém)
-Serei contra se uma dessas fracções de tempo não for grátis para pequenas compras. ( Até nas grandes superfícies como o Colombo em Lisboa, isso acontece)
Imagine o leitor ter de ir à farmácia e pagar estacionamento, depois fazer uma refeição e ter de pagar para além do preço do menú.
Continuo a relembrar alguns iluminados que aqui ao lado no Campera, o estacionamento para TODAS as compras, é gratuito!
Já em relação aos parques junto à CP, nada obsta a que possam ser pagos se forem vigiados e devidamente pavimentados e protegidos. No entanto era bom que não se esquecesse que esses utentes até fazem compras em Azambuja antes de regressarem a casa. Pensem nisso.
Boa leitura
Paulo Ferreira de Melo

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Feira de Maio 2011 em versão "low cost"

O corte foi de mais de 40%. Dos antigos 600.000 euros a Feira de Maio passa para 250.000, mas mesmo assim, os espírito das tertúlias continua bem presente e todas elas já se encontravam prontas, renovadas e abastecidas para 4 dias de visitantes.

O São Pedro não colaborou trazendo a chuva no início, mas o pior foi a parte da exposição comercial e restauração com os pavilhões ainda em montagem com a inauguração a decorrer.

Notória a ausência demuitos comerciantes de Azambuja no Pavilhão 2 das Actividades evonómicas e muito menos artesãos.

Como compensação de custos, o Pavilhão 1 foi surpreendentemente concessionado à empresa de montagem e trata-se de um tipo de Mercado Mensal com sapatos à mistura com mobilias ou vestuário.


E este ano não se realizará corrida de toiros. Falta de local (a velha praça está a ser demolida) e falta de verba para pagar os bilhetes, serão as razões principais para que os aficionados se foquem sobretudo nas largadas de toiros.


E se não foi convidada a Irmandade del Pueblo Del Rio para a missa flamenca e espectáculo de sevilhanas, o "espectáculo" de fogo de artifício foi mantido e as verbas gastas em 2 programas na RTP, outdoors e publicidade foram mantidos.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Comerciantes desafiam câmara de Azambuja

15 Fev 2011
A ACISMA, representante do Comércio e Indústria de Azambuja, através do seu porta voz Daniel Claro, na foto, desafiou hoje em sessão de câmara, que o executivo local trocasse o habitual subsídio às toiradas da Feira de Maio, pela realização de uma exposição de actividade económica durante o certame.

Relembrou o responsável da associação que a câmara dispende todos os anos mais de 38.000 euros com a compra de bilhetes "à borla" para as corridas da Feira de Maio e que esse dinheiro poderia ser aproveitado para a ACISMA realizar a exposição. Exposição essa que se encontra suspensa este ano devido a restrições orçamentais, conforme explicou o presidente da câmara Joaquim Ramos à rádio Ribatejo recentemente. (ver notícia anterior neste blogue)



quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

FEIRA DE MAIO 2011 sem Comércio , nem Artesanato

9 Fev 2011

A tradicional Feira de Maio de Azambuja não vai contar este ano com os pavilhões dedicados habitualmente ao artesanato e as actividades económicas.


A Rádio Ribatejo e o Correio de Azambuja apuraram que os cortes não irão ficar por aqui, também um dos espectáculos não se realizará. A ACISMA - Associação do Comércio, Indústria e Serviços do Município de Azambuja, através do seu porta-voz Daniel Claro ( na foto ), já se mostrou muito preocupado com a decisão.

A câmara pretende poupar pelo menos 67.885 euros que foi o valor que pagou o ano passado à empresa Alltendas ,Lda. , que forneceu o serviço.

No entanto terá de alugar a instalação da Praça das Freguesias que se mantém.


De recordar que durante a Feira de Maio, a par da praça das freguesias, os pavilhões eram locais de visita obrigatória. Entretanto as corridas de toiros previstas serão realizadas numa praça alugada especialmente para o efeito, já que a reconstrução/requalificação da antiga não estará pronta a tempo.


Maio de 2011

Actualização:

A câmara decidiu recuar em várias frentes e realizará o aluguer do pavilhão de actividades económicas, mas cederá espaço para outro igual à empresa de montagem. A Praça central das Freguesias (Tasquinhas )mantém-se.

Quanto à corrida de toiros e consequente aluguer de uma praça móvel, foram eliminadas.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

PISCINAS MUNICIPAIS SEM OBRA À VISTA


4 Fev 2011

Foi inconclusiva a reunião desta semana entre a Santa Casa da Misericórdia de Azambuja e a câmara. Esta pretende tomar posse da parte da santa casa nas piscinas mas, a instituição quer contrapartidas já prometidas e nunca regularizadas e não concorda com a totalidade da proposta do presidente da câmara
O impasse está assim na ordem do dia e sem o entendimento das 2 entidades, a câmara não pode requerer fundos comunitários para a reclassificação e obra do equipamento encerrado no ano passado.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Director do Hospital Reynaldo dos Santos

24Jan 2011

António Godinho, médico e membro da Assembleia Municipal de Azambuja, foi nomeado o novo director das Urgências dos Hospital Reynaldo dos Santos em Vila Franca de Xira, responsabilidade que decidiu aceitar em prol de uma comunidade que bem precisa.

A principal tarefa é agora "melhorar o atendimento e reduzir os tempos de espera" conforme confidenciou na passada 6ª feira ao Programa Hora Extra na Rádio Ribatejo.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Música no Alto Concelho


O presidente da Junta de Freguesia de Manique do Intendente, uma das 9 freguesias de Azambuja esteve presente na sessão de câmara de 18 de janeiro e declarou ser "caso para queixa à Procuradoria, a situação a que chegou a formação a Associação Musical do Alto concelho", isto porque após um protocolo inicial em que para receber alguns fundos do Governo Civil de Lisboa, teria de ser formada essa associação, os presidentes da Maçussa e V. N. de São Pedro decidiram formar essa entidade, mas apenas a título individual .

Ora a junta de Manique que em 2008 e 2009 sempre honrou a sua parte dos compromissos com a associação, sente-se ultrapassada em quer ser ressarcida das verbas dispendidas.

Para o Vereador Marco Leal, da divisão da Cultura, tudo se passou desse modo devido a um parecer do Gov. Civil que "dispensaria" a presença das juntas no protocolo. Só que esse parecer não se encontra oficializado e Herculano Valada afirma desconhecê-lo, pelo que vai entregar o caso às autoridades.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Ser Solidário


Em Azambuja a solidariedade não é uma palavra vã.

No passado sábado dia 8 de Janeiro, Manuel da Rosa, o popular comerciante do Rossio de Azambuja conseguiu recolher e entregar uma quantidade enorme de tampinhas de plástico destinadas a um deficiente de Benavente.

Na foto é possível ver a carga já devidamente acondicionada no transporte para posterior entrega.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

O NOVO CARRO DA PRESIDENCIA

Já foi adquirido o novo veículo da presidência da Câmara de Azambuja.
Embora se trate de um veículo de gama alta- Audi A6, a edilidade acabou por preferir um veículo em segunda mão, com 30.000 Km .

A aquisição será no sistema ALD, efectuado numa empresa local e o novo carro vem substituir um outro Audi de 1999 que já necessitava algumas reparações de fundo.

Recorde-se que uma das primeiras medidas de Joaquim Ramos no início dos seus mandatos em Azambuja há 12 anos foi exactamente começar por substituir alguns veículos, incluindo o da presidência.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Presidente da FENACAM é de Azambuja


Francisco João Silva (na foto) é o novo presidente da direcção da FENACAM- Federação Nacional das Caixas de Crédito Agrícola de Portugal.

A cerimónia e tomada de posse decorreu ontam ao final do dia e contou com a presença de destacadas figuras da vida política nacional entre os quais o Ministro da Agrisultura e D. Duarte de Bragança.

"os momentos de crise proporcionam também momentos de oportunidade e juntos poderemos ultrapassar as dificuldades. Contem comigo" afirmou o ministro. Já Francisco João Silva preferiu realçar os 100 anos que o Crédito Agricola está a comemorar e a situação financeira da instituição "considerada das mais seguras e rentáveis do país. A saúde financeira e a liquidez da Caixa é singular no panorama económico nacional." - salientou o novo dirigente que é também residente no concelho de Azambuja.

O Correio de Azambuja foi o orgão regional que a acompanhou a cerimónia e desenvolverá o tema na edição de 28 de Janeiro de 2011.